Feeds:
Comentários

Archive for the ‘1’ Category

Quando os evolucionistas descobrem fósseis de animais ou de seres humanos e lhes atribuem a idade de milhões de anos, os estudiosos da Bíblia ficam preocupados sendo que, com base na cronologia bíblica, eles veem que a vida sobre a Terra tem apenas alguns milhares de anos. Não, necessariamente, seis mil anos. A ideia de que a vida na Terra surgiu há aproximadamente seis mil anos tem mais de um defensor. Dentre eles se destaca o arcebispo irlandês James Ussher (1581-1656), o qual, baseado nas genealogias que se encontram na Bíblia, estabeleceu a data da criação do mundo no ano 4004 a.C. O dilúvio universal, segundo Ussher, teria ocorrido no ano 2348 a.C. Com base nos melhores historiadores, que por sua vez se baseiam nas descobertas arqueológicas e que nos apresentam a existência de civilização no Vale do Nilo e na Mesopotâmia séculos antes de 2348 a.C., vemos a fragilidade da cronologia de Ussher e, portanto, a impossibilidade de a história humana ter apenas seis mil anos. Segundo esta cronologia, já bastante descartada, com base na genealogia que se encontra no capítulo 11 de Gênesis, o patriarca Abraão teria nascido pouco mais de 400 anos depois do dilúvio. Isto nos mostra que não é possível estabelecer uma cronologia para a idade da Terra com base em dados genealógicos da Bíblia. Um exemplo, quando Abraão nasceu já reinava no Egito a 12ª dinastia, a qual teve início com o Faraó Amenemhat I em 1991 a.C. (segundo Grimal). Às vezes uma dinastia durava séculos! E onde ficam as dez gerações de Noé até Abraão, que serviram de base para o cálculo de Ussher? Se a cronologia de Ussher estivesse correta, boa parte da civilização egípcia e da civilização mesopotâmica teria existido antes do diluvio, o que é um absurdo inaceitáve! Veja alguns dados da história da Mesopotâmia: o povo conhecido como sumério, cuja língua foi predominante no território da Mesopotâmia, teria vindo provavelmente da Anatólia por volta de 3300 a.C. No terceiro milênio antes de nossa era eles teriam criado ao menos 12 cidades-estados: Ur, Eridu, Lagash, Umma, Adab, Kish, Sipar, Larak, Akshak, Nipur, Larsa e Bad-tibira. O arqueólogo Ernest de Sarzec iniciou escavações nas ruínas de Lagash em 1877. O primeiro rei a unir as diferentes cidades-estados, por volta de 2800 a.C., foi Etana, rei de Kish. Antes, porém, da chegada dos sumérios, a baixa Mesopotâmia fora ocupada por um povo não pertencente ao grupo semita, modernamente conhecido como ubaida, termo derivado da cidade de al-Ubaid, onde foram encontrados seus primeiros vestígios. Não seria isto uma proto-história? Tudo isto nos mostra que a civilização humana é muito mais antiga e não pode ser comprimila em apenas seis mil anos. A cronologia de Clinton tem sido mais aceita e as princpais datas por ele estabelecidas são as seguintes:
4138 a.C. — Adão
2482 a.C. — o dilúvio
1625 a.C. — o Êxdo
1096 a.C. — a escolha de Saul
1056 a.C. — Davi
1016 a.C. — Salomão
976 a.C. — Roboão
606 a.C. — o início do cativeiro dos judeus na Babilônia
Mas, mesmo estes dados dexiam muito a desejar ao se tentar estabelecer a cronologia da Terra. [continua]

Anúncios

Read Full Post »

  As genealogias bíblicas nos apresentam outros problemas. Acredita-se que elas contenham lacunas. Mas lacuna não é erro. Por exemplo, lemos em Mateus 1:8: “E Jorão gerou a Uzias.” Neste caso, Mateus omitiu três nomes dos ancestrais de Cristo: Acazias, Joás e Amazias. Realmente, Jorão gerou a Acazias, que foi o bisavô de Uzias. Mas, o principal problema é que os estudiosos não admitem que houve lacunas na genealogia de Gênesis 11. Outro problema: Segundo o cálculo de Clinton, o início do reinado de Davi foi 589 anos depois do Êxodo ou 549 anos depois da entrada de Israel em Canaã. Achamos isto um pouco exagerado. Em 1 Reis 6:1 lemos que o início da construção do templo de Salomão no 4º ano desse rei foi 480 anos depois da saída dos israelitas do Egito. Uma data muito provável para o Êxodo é 1445 a.C. e 1405 a.C. para a entrada em Canaã. O início do reinado de Davi não seria em 1056 a.C., mas em 1005 a.C. Mas é muito provável que a entrada em Canaã tenha sido no mínimo 400 anos antes do início do reinado de Davi. Em Atos 13:20 o apóstolo Paulo afirma que o período dos Juízes durou quase 450 anos. Veja um fato curioso: Quando Israel entrou em Canaã e iniciou a conquista do país com a tomada de Jericó, Raabe, habitante de Jericó, entrou na história do povo de Israel. Ela casou-se com Salmom, príncipe de Judá, e foi uma das ancestrais de Davi. Note que num período de aproximadamente quatrocentos anos, desde Raabé até Davi, houve apenas cinco gerações [contagem inclusiva]. Raabe foi a mãe de Boaz, bisavô de Davi, segundo esta genealogia.
1. Salmom
2. Boaz
3. Obede
4. Jessé
5. Davi
É possível admitir que apenas 5 gerações atravessa todo o período da conquista de Israel, o longo período dos Juízes e todo o reinado de Saul, que foi de 40 anos?
Do início do reinado de Davi até à deportação dos judeus para a Babilônia, segundo o cálculo de bons cronologistas, houve aproximadamente 400 anos. Num mesmo período de tempo de 400 anos houve 18 gerações [contagem inclusiva]:
1. Davi
2. Salomão
3. Roboão
4. Abias
5. Asa
6. Josafá
7. Jorão
8. Acazias
9. Joás
10. Amazias
11. Uzias
12. Jotão
13. Acaz
14. Ezequias
15. Manassés
16. Amom
17. Josias
18. Jeconias
Estes exemplos nos mostram que as genealogias bíblicas não devem ser usadas para uma fixação da idade da Terra. As antigas Bíblias [King James Version] traziam a data da criação em 4004 a.C. e ainda há quem acredita na cronologia de Ussher e prega que a civilização humana tem cerca de seis mil anos.

Read Full Post »

= postado por Marco Azevedo

Muita gente não sabe, mas o Google possui poderosas ferramentas que auxiliam o tradutor na busca de uma palavra ou expressão não encontrada, conversão de medidas e outros recursos que auxiliam imensamente os tradutores. Para fazermos o melhor uso do Google e torná-lo ainda mais útil, resolvi postar várias dicas de busca avançada no Google: 1. Para encontrar uma palavra ou frase no Google e obter resultado como um dicionário: Digite “define” (sem aspas) e a palavra ou frase desejada. Ex.: define: translation. O resultado deverá surgir como o resultado de um dicionário com opções de idioma no rodapé. 2. Encontre resultados com uma das palavras ou ambas digitadas: Use a conjunção “or” para resultado de uma das palavras pesquisada e “and” para obter resultado de ambas. Ex.: “wireless or internet”; “wireless and internet”. 3. Encontrando a palavra completa desejada com resultado desfragmentado: O Google dará o resultado da frase exata que digitar se colocá-la entre aspas. Ex.:“a tecnologia no século 21”. Os resultados serão mostrados com a frase completa sem fragmentos. 4. Ocultando palavras na busca: Caso deseja ocultar em sua busca uma palavra muito comum, basta digitar o sinal de menos “-” ao lado da palavra que quiser omitir na busca. Ex.: -Intel fabricantes de processadores, se deseja excluir a palavra “Intel” da pesquisa. 5. Para encontrar resultados de termos” similares ao digitado: Utilize o símbolo “~” (til). Ex.: “~tradução conhecimento” (sem aspas). 6. Esqueceu-se do termo completo que pretendia buscar ou não sabe a grafia correta? Na barra de busca do Google digite: palavra * palavra. Ex.: “hino * brasileiro”. O resultado será exibido sugerindo a palavra mais comum que se encaixa às demais. 7. Usando o Google como calculadora: Para fazer do Google sua calculadora, digite: n° + sinal do cálculo + outro n°. Ex.: “250*37″. 8. Número intermediário: Retorna valores especificados entre o valor inicial e final. Utilize dois pontos (““..”) entre um número e outro, e o Google vai trazer apenas resultados que tenham números dentro do intervalo que você definiu. Exemplo: “concurso público 2005..2007”. O google irá mostrar resultado de concursos públicos ocorridos entre 200 e 2007. 9. Busca direcionada: O Google procura encontrar somente contéudo do assunto escolhido. É útil quando se sabe o que procura. Exemplos: Busca por Livros – http://www.google.com.br/books Busca por Imagens – http://images.google.com.br/ Busca por Blogs – http://www.google.com.br/blogsearch 10. Encontre arquivos específicos: Este também é um dos meus preferidos, utilize o comando “filetype:” acompanhado da extensão que deseja encontrar, documentos em PDF, documentos do Word, planilhas do Excel são algumas das extensões suportados pelo Google. Ex.:curriculo filetype:doc / investimentos filetype:xls.11. Google Translation Kit: Para finalizar, um dos recursos que achei muito interessante, é o Google Translation Kit. O Google Translation Kit é uma versão aprimorada do tradutor automático da empresa. Ele permite o uso de avançados como memórias de tradução e glossários multilíngues Muita gente não sabe, mas o Google possui poderosas ferramentas que auxiliam o tradutor na busca de uma palavra ou expressão não encontrada, conversão de medidas e outros recursos que auxiliam imensamente os tradutores. Para fazermos o melhor uso do Google e torná-lo ainda mais útil, resolvi postar várias dicas de busca avançada no Google: 1. Para encontrar uma palavra ou frase no Google e obter resultado como um dicionário: Digite “define” (sem aspas) e a palavra ou frase desejada. Ex.: define: translation. O resultado deverá surgir como o resultado de um dicionário com opções de idioma no rodapé. 2. Encontre resultados com uma das palavras ou ambas digitadas: Use a conjunção “or” para resultado de uma das palavras pesquisada e “and” para obter resultado de ambas. Ex.: “wireless or internet”; “wireless and internet”. 3. Encontrando a palavra completa desejada com resultado desfragmentado: O Google dará o resultado da frase exata que digitar se colocá-la entre aspas. Ex.:“a tecnologia no século 21”. Os resultados serão mostrados com a frase completa sem fragmentos. 4. Ocultando palavras na busca: Caso deseja ocultar em sua busca uma palavra muito comum, basta digitar o sinal de menos “-” ao lado da palavra que quiser omitir na busca. Ex.: -Intel fabricantes de processadores, se deseja excluir a palavra “Intel” da pesquisa. 5. Para encontrar resultados de termos” similares ao digitado: Utilize o símbolo “~” (til). Ex.: “~tradução conhecimento” (sem aspas). 6. Esqueceu-se do termo completo que pretendia buscar ou não sabe a grafia correta? Na barra de busca do Google digite: palavra * palavra. Ex.: “hino * brasileiro”. O resultado será exibido sugerindo a palavra mais comum que se encaixa às demais. 7. Usando o Google como calculadora: Para fazer do Google sua calculadora, digite: n° + sinal do cálculo + outro n°. Ex.: “250*37”. 8. Número intermediário: Retorna valores especificados entre o valor inicial e final. Utilize dois pontos (““..”) entre um número e outro, e o Google vai trazer apenas resultados que tenham números dentro do intervalo que você definiu. Exemplo: “concurso público 2005..2007”. O google irá mostrar resultado de concursos públicos ocorridos entre 200 e 2007. 9. Busca direcionada: O Google procura encontrar somente contéudo do assunto escolhido. É útil quando se sabe o que procura. Exemplos: Busca por Livros – http://www.google.com.br/books Busca por Imagens – http://images.google.com.br/ Busca por Blogs – http://www.google.com.br/blogsearch 10. Encontre arquivos específicos: Este também é um dos meus preferidos, utilize o comando “filetype:” acompanhado da extensão que deseja encontrar, documentos em PDF, documentos do Word, planilhas do Excel são algumas das extensões suportados pelo Google. Ex.:curriculo filetype:doc / investimentos filetype:xls.11. Google Translation Kit: Para finalizar, um dos recursos que achei muito interessante, é o Google Translation Kit. O Google Translation Kit é uma versão aprimorada do tradutor automático da empresa. Ele permite o uso de avançados como memórias de tradução e glossários multilíngues

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: