Feeds:
Comentários

Archive for maio \16\UTC 2017

No último dia 13 de maio, com a presença do Papa Francisco, comemorou-se em Fátima, Portugal, o centenário da primeira aparição da suposta Virgem Maria a três crianças, Lúcia dos Santos, Francisco e Jacinta Marto. Lúcia, prima das crianças, morreu com idade avançada, 97 anos, no dia 13 de fevereiro de 2005. As duas crianças mais novas morreram muito cedo.
O padre português, Mário de Oliveira, nos informa a respeito da falsidade revoltante que vitimou as duas crianças menores que, ouvindo a pavorosa descrição do inferno católico apresentada pela visão, ficaram muito preocupadas com a sorte dos pecadores e entregaram-se a penitências e mortificações, além de procurar a sua conversão, a fim de livrá-los do horroroso inferno. Por este motivo, quando sobreveio a gripe espanhola, as crianças estavam muito fragilizadas e morreram.
Muitas pessoas sinceras são vítimas de aparições enganadoras e acreditam piamente nas mentiras do diabo. Um menino chamado Lucas, de uma cidade do Paraná, tendo relatado que foi favorecido por uma cura operada pelos dois pequenos pastores de Fátima, levou o papa a canonizá-los! E assim, Francisco e Jacinta Marto, de origem bastante humilde, jamais imaginavam que iriam se tornar objeto de culto no mundo inteiro e que Fátima iria atrair a cada ano milhões de peregrinos!
E o que dizer da aparição que, segundo a crença de pessoas iludidas, era a Virgem Maria? Por volta do ano 31 da Era Cristã, Maria aparece pela última vez na Bíblia em Atos dos Apóstolos, capítulo 1, versículo 14: “Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos.” Quatrocentos anos depois, no Concílio de Éfeso, 431 a.D., Maria é proclamada Mãe de Deus [Theotokos]. A mariolatria é muito antiga. Na Igreja Romana, o culto dos santos e anjos tem o nome de dulia, palavra de origem grega que significa servidão ou submissão. Mas o culto a Maria recebe o nome de hiperdulia. Também ela recebe o título de Rainha do Céu!
Mas duas passagens do Antigo Testamento, ambas do livro de Jeremias, condenam o culto à rainha do céu que era prestado pelos israelitas apóstatas. Este título se refere a Ishtar, deusa assíria e babilônica, também chamada Astarte ou Astarote por vários outros povos pagãos! Os judeus estavam envolvidos em fazer bolos e oferecê-los à rainha do céu (veja Jeremias 7:18), A outra referência à rainha do céu encontra-se em Jeremias 44:17-25 em que o profeta está procurando transmitir ao povo a palavra que havia recebido do Senhor e o castigo que eles iriam receber por oferecer libações e queimar incenso à deusa Astarote!
Em pleno século XXI, pessoas iludidas pelas doutrinas do anticristo ainda acreditam que duas crianças falecidas há tanto tempo podem ouvir orações e curar a enfermidade de pessoas vivas! Se tais pessoas conhecessem a doutrina bíblica do estado de completa inconsciência em que se encontram os mortos até à ressurreição não seriam enganadas! [veja Eclesiastes 9:5, 6, 10 e também João 11:11].

Anúncios

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: